14 maio 2015

Fala do presidente do Uruguai, Pepe Mujica. na Rio+20


Autoridades presentes, de todas as latitudes e organizações, muito obrigado. E muito obrigado, nosso agradecimento ao povo do Brasil e à sua senhora presidente. E muito obrigado à boa-fé que, seguramente, manifestaram todos os oradores que me precederam.

Expressamos a íntima vontade, como governantes, de acompanhar todos os acordos que esta nossa pobre humanidade possa subscrever. No entanto, seja-nos permitido fazer algumas perguntas em voz alta. Durante toda a tarde esteve-se falando em desenvolvimento sustentável, de tirar imensas massas da pobreza. O que nos passa pela cabeça? O modelo de desenvolvimento do consumo é o atual das sociedades ricas. Eu gostaria de perguntar o que aconteceria a este planeta se os indianos tivessem a mesma proporção de carros por família têm os alemães? Quanto oxigênio nos restaria para podermos respirar?

Mais claro: o mundo tem, hoje, os elementos materiais para fazer possível que sete, oito bilhões de pessoas possam ter o mesmo nível de consumo e desperdício das mais opulentas sociedades ocidentais? Será possível ? Ou teremos que nos dar, algum dia, outro tipo de discussão? Porque criou-se uma civilização, na que estamos, filha do mercado, filha da competição, que se deparou com um progresso material portentoso e explosivo. Mas o que foi economia de mercado criou a sociedade de mercado. E se apresentou esta "globalização" que significa olhar por todo o planeta. Estamos governando a globalização ou a globalização nos governa? É possível falar de solidariedade e de que estamos todos juntos numa economia que está baseada na competição desapiedada? Até onde chega a nossa fraternidade?

Nada disso digo para negar a importância desse evento. Não, pelo contrário, o desafio que temos pela frente é de uma magnitude e de um caráter colossal e a grande crise não é psicológica, é política. O homem não governa, hoje. A força que se liberou, ou a força que liberaram governa o homem... e à vida. Porque não viemos ao planeta para nos desenvolvermos em termos gerais. Viemos à vida tentando ser felizes. Porque a vida é curta e nos acaba. Nenhum bem vale como a vida e isto é elementar. Mas se a vida me vai escapar trabalhando e trabalhando para consumir o máximo e a sociedade de consumo é o motor, porque se definitivamente se paralisa o consumo ou se detém, se detém a economia, e se se detém a economia é o fantasma da estagnação para cada um de nós. Mas esse hiper-consumo, a juízo, é o que está agredindo o planeta e esse hiper-consumo tem que gerar coisas que durem pouco, porque é preciso vender muito. Uma lâmpada elétrica não pode durar mais de mil horas acesa. Há lâmpadas que podem durar cem mil, duzentas mil horas, mas essas não se pode fazer. Porque o problema é o mercado. Porque temos que trabalhar. Temos que estar numa sociedade de uso e descarte, estamos num círculo vicioso. Estes são problemas de caráter político que estão nos dizendo da necessidade de lutar por outra cultura.

Não se trata de propor voltar aos homens das cavernas, nem fazer um monumento ao atraso. É que não podemos, indefinidamente, continuar governados pelo mercado mas, sim, temos que governar o mercado. Por isso digo que o problema é de caráter político.

Na minha humilde maneira de pensar - porque, como os velhos pensadores definiam, Epicuro, Sêneca, ..., - pobre não é o que tem pouco, mas o verdadeiramente pobre é o que necessita infinitamente muito e deseja e deseja e deseja mais e mais. Esta é uma chave de caráter cultural. Então, vou saudar o esforço e lhes recordo que é assim.

Vou acompanhar, como governante, porque sei que alguma coisa das que digo se retêm. Mas temos que nos dar conta que a crise da água, que a crise do meio ambiente não são uma causa. A causa é o modelo de civilização que construímos e o que temos que rever é a nossa forma de viver. Por quê? Pois temos um país pequeno, muito bem dotado de recursos naturais para viver. Em meu país há três milhões de habitantes, pouco mais, três milhões e duzentos, mas há treze milhões de vacas, das melhores do mundo, e uns oito a dez milhões de ovelhas, estupendas. Meu país é exportador de comida, de arte ou de carne. É uma enorme planície, quase noventa por cento do seu território é aproveitável. Meus companheiros trabalhadores lutaram muito pelas oito horas de trabalho. Agora estão conseguindo seis horas. Mas aquele que consegue as seis horas, consegue outro trabalho, portanto trabalha mais que antes. Por quê? Porque tem que pagar uma quantidade de mensalidades, a motocicleta que comprou, o carrinho que comprou, e paga prestação e paga prestação e quando se dá conta, é um velho reumático como eu e se lhe foi a vida. E se faz essa pergunta: esse é o destino da vida humana?

Estas coisas são muito elementares. O desenvolvimento não pode ser contra a felicidade, tem que ser a favor da felicidade humana, do amor sobre a terra, nas relações humanas, no cuidar dos filhos, em ter amigos, em ter o mínimo necessário. Precisamente, porque esse é o tesouro mais importante que existe. Quando lutamos pelo meio ambiente, o primeiro elemento do meio ambiente se chama felicidade humana. Obrigado.

José Mujica (el Pepe)
Via: Observar e Absorver

"Para reprodução integral ou parcial do texto, é necessário citar a fonte e o link da postagem original"

12 maio 2015

Metafísica da casa





Nosso corpo reflete nossa energia, assim como nossa casa.
Fez sentido pra mim, por isso estou compartilhando.

Ravena

Nosso lar é como se fosse a nossa segunda pele e está diretamente ligada a energia dos moradores. É um lugar onde precisamos nos sentir em paz, confortáveis e seguros.
Quando “problemas repetidos” surgem, são pistas de padrões mentais e energia dos moradores.
Muitas vezes, mudamos de casa e os “mesmos” problemas surgem novamente...
O que será que isso significa?
Bom, segue uma lista de problemas comuns e o padrão mental ligado ao problema.
Faça uma auto-análise e veja se faz sentido pra você!
Saliento que essa lista foi criada através de pesquisas, colhendo informações com os estudiosos do tema.

Problemas Hidráulicos : Casas com vazamentos, entupimentos, terão pessoas com comportamento controlador, pessoas que não sabem delegar, perfeccionistas, teimosas que não deixam a vida fluir naturalmente. No caso de vazamentos é perda de dinheiro e de energias. Podem surgir problemas circulatórios e líquidos, glândulas linfáticas, problemas tais como derrame, enfarte, pressão alta, má circulação, trombose, veias entupidas no caso de entupimento , hemorragia . Há falta de criatividade de idéias, perda de energia, sente-se enfraquecido, desanimado, rígido.

Goteiras: Pessoas com pensamentos negativos repetitivos, que vibram muito tempo em energias baixas, deixando, assim brecha para o mal. Cuidar do espiritual, pode ser invadido por obsessores.

Problemas na elétrica : É relacionado com o sistema nervoso das pessoas. Pessoas agressivas, nervosas, explosivos, críticos, com ataques de cólera. 

Portas, janelas e gavetas emperradas: os moradores se sentem estagnados, não conseguindo sair de problemas.

Rachaduras : significa rigidez , inflexibilidade e rachos na estrutura da personalidade das pessoas.

Entupimentos: significam que as energias não estão fluido em você e/ou que na casa há pessoas muito controladoras e que não deixam a vida fluir por si.

Infiltrações: tem o mesmo significado que goteiras. Mas também podem representar um lar onde os moradores retém a afetividade.

Lâmpada queimada: luz é energia e lâmpada que queima com freqüência significa que a energia do ambiente está fraca. Falta alegria.

Telefone com problema: o telefone com problemas freqüentes significa falta de comunicação pessoal. Melhore a sua comunicação com os outros.

Relógio Parado: Energia estagnada.

Portão ou porta de entrada descuidados: Há alguém com aparência física descuidada e com questões de auto-estima a ajustar.

Dicas e cuidados:

Paredes danificadas: emitem vibrações negativas que influenciam na saúde dos moradores. Sempre mantenha as paredes limpas, cuidadas e sem mofo.
Porta e Janelas entulhadas : a energia não flui o que provoca dificuldade de relacionamento e expressão.

Casa Bagunçada: é resultado de vida bagunçada.

Banheiros: local onde deixamos nossas impurezas. Essas energias saem à noite e podem prejudicar os moradores. Deixem sempre a porta do banheiro e a tampa do vaso sanitários fechadas quando há gente na casa ou no escritório e abertas quando não há ninguém na residência ou no escritório para que as energia circule e se enfraqueça.

Plantas detém correntes de vento e energias nocivas, ou seja, são filtros energéticos naturais.

Insira espelhos “Inteligentes” voltados para onde você não quer que energia ruim venha, são curas de Radionica e de Feng Shui.

Nunca use fotos de pessoas para tapar buracos de paredes.

Coloque quadros alegres, serenos, pois são boa energia para sua casa e/ou escritório.

Não colocar cama, fogão, sofá ou altar atrás de paredes com encanamentos.

Arejar ambientes : Abrir portas e janelas ao menos 2 horas por dia.

Limpar o que não serve cria espaço para novas aberturas na vida.

Colar as placa radiônica chamada SCAP* nos aparelhos do quarto de dormir para neutralizar as radiações emitidas por estes aparelhos.

*Criado pelo radiestesista francês André Philippe, este gráfico se baseia na “lei de compensação das forças” e é utilizado para neutralizar energias e radiações nocivas. Ao ser posicionado sob um foco de energias nocivas, absorve e acumula parte da energia eletromagnética liberada por aparelhos elétricos e eletrônicos. Neutraliza, portanto, ondas nocivas que são irradiadas por computadores, celulares, TVs, telefones, microondas, rádios, caixa de força e torres elétricas. Pode atuar também no campo psíquico e emocional, juntamente com tratamentos contra vícios ou no controle da pressão arterial. Colar o gráfico atrás dos aparelhos que liberam energia eletromagnética ou, que se encontram em uma distância menor que um metro e meio do observador. Clique aqui para acessar o gráfico.

As dicas de cura, são do Professor Francisco Borello.
Ele é professor e consultor de radiestesia, radionica e Feng Shui. E tem um programa na Rádio Mundial.

Via Passarinho no Telhado
Grata ao Lukas Vidal por compartilhar no facebook

Veja também:

A relação entre doenças e emoções - A doença é a cura