08 setembro 2011

A morte tem deixar de ser um tabu

Texto postado no dia 19 de janeiro de 2011 (vide comentários)

O medo é um sistema de defesa instintivo do ser humano, é para ser acionado somente em situações de emergência, ele produz reações químicas no corpo, produz hormônios como a adrenalina, um dispositivo de defesa que prepara o corpo para duas reações: lutar ou fugir.

Todos os sistemas foram idealizados para nos manter aprisionados no medo em tempo integral. O sistema religioso, médico, cultural, financeiro, este último é o maior vilão, pois foi adaptado para que as pessoas trabalhem de forma escravagista, nosso livre arbítrio é limitado nessa questão, pois já somos desde a infância, programados para morrer de trabalhar e assim conseguir sobreviver, inclusive para aquilo que é essencial: água, luz, moradia, comida, estudos, medicamentos...

Não é somente um sistema financeiro, é um sistema social, se você não é índio, fica difícil fugir dessa realidade. Aquilo que seria um dispositivo de defesa está sendo acionado todos os dias e em todas as circunstâncias, pois vivemos com medo.

Essas reações cotidianas desequilibram todo o corpo, nos mantêm refém de nossas inseguranças. As pessoas estão sempre alertas, agressivas, de mal humor, estressadas. O sistema incentiva as pessoas a sentirem medo o tempo todo e assim nos tornamos mais controláveis e é o principal meio de fazer você enxergar e sentir apenas o sistema, sem se dar conta do espiritual.

Somos 24 horas por dia bombardeados com informações que instigam apenas os nossos 5 sentidos, o materialismo, a vaidade, a distorção do sexo, tudo muito bem trabalhado pelos órgãos oficiais na mídia, eles estão realizando um ótimo trabalho, visto a inversão de valores atualmente.

As pessoas nascem e aprendem todos os valores do avesso, aplicam tudo o que aprendem para um dia ter algo e não ser alguém. Nascemos com um buraco enorme no peito, um vazio que não se sabe de onde vem, e todos tentamos preencher esse vazio de várias formas, a mais moderna e ineficaz é esse consumismo desenfreado. As pessoas compram, o efeito anestésico passa como um raio, e o vazio cresceu.

Esse buraco se alimenta de tudo que nos mantêm iludidos, de tudo que nos mantêm longe de nossa verdadeira origem, realidade e longe de tudo que devemos realmente aprender.

A pior das inversões foi manter a morte no lado sombrio da vida. Os egípcios se preparavam para a morte, enfatizavam valor a passagem, pois o que é a morte se não uma passagem?


A morte não é um tema macabro, não é feia, não é triste, não importa em que condições ela ocorra, é sempre libertação. A vida na 3D é uma escola, estamos experimentando a dualidade para aprender o equilíbrio, aprendendo a amar, aprendendo a morrer.

Essa cultura materialista nos afastou da espiritualidade, conseguimos enxergar apenas os 60 ou 80 anos que a maioria vive, não conseguem ver que isso é um sopro diante da eternidade. E meu querido, se você ainda não entendeu e lamenta a morte, vou te relembrar algo que já escrevi dezenas de vezes: VOCÊ É ETERNO.

A energia da Ravena é eterna, energia que já foi homem, mulher, pobre, rico, médico, faxineiro, que pode ter sido até uma baratona em outra orbe, em outro tempo, em outra dimensão. Experimentei diversas formas e situações e vou experimentar eternamente, por enquanto na 3D, mas com certeza todos iremos experimentar em todas dimensões e todas as situações.

Excluindo o suicídio, ninguém morre antes do tempo, mesmo as “criancinhas” de Teresópolis que morreram em tenra idade, passaram por situações que somente lhes trouxeram crescimento. Lembre-se, apenas a capa física estava ainda em condição infantil, já que muitas almas em corpos infantis são mais antigas que você e eu.

Precisamos pôr um fim na confusão entre amor e apego, pois esse último é o mais destrutivo entre todos os “defeitos” que nos mantêm estagnados e limitados.

Sofrer em demasia, dramatizar diante de “tragédias” é perder a oportunidade de enxergar o lado B da situação. Veja a solidariedade em ação, e se o ser humano precisa de tragédias para resgatar o que se perdeu ou ainda não aprendeu, que assim seja.

Não confunda equilíbrio com apatia. Não é frieza ou insensibilidade, apenas equilíbrio, somatizar energias densas de sofrimento apenas complicam a situação.
Se você ainda sofre ou lamenta a morte, tem muito que trabalhar nesse sentido.

Empatia não significa sofrer com o outro e sim entender o sofrimento. Hoje a maioria está vibrando indignação, revolta, medo, procurando por culpados. Sua vibração precisa ser diferente disso, pois vibração é energia em ação e chega onde você quiser. Preste muita atenção o que você está enviando pois receberá de volta.

Sua vibração comandará os acontecimentos para você, prepare-se para aceitar a morte com alegria, a sua morte, a morte dos entes queridos, a morte daqueles que vemos apenas na tv ou na internet, é uma das fases da libertação e ninguém "perde o casulo" antes da hora. 

Esse mundo holográfico da 3D é uma cópia do astral, a vivência física é apenas uma das muitas oportunidades de aprendizagem. A energia vinda do espaço Nexus, trabalhará nos nossos corpos energéticos, porque é o que somos: ENERGIA.


Encarnados e desencarnados receberão da mesma fonte, o que fará a diferença é sua vibração (pensamento). Se você sente medo da morte ou sofre quando sabe de inúmeras mortes causadas por tragédias, pouco compreendeu sobre a transição, pouco ainda compreende sobre sua ORIGEM CÓSMICA ETERNA E MUTÁVEL.

Foque seu aprendizado nessas 4 palavrinhas mágicas.

Beijão no coração
Ravena

9 comentários:

  1. Querida Ravena, td bem?

    conhece o Bob Dean né? A entrevista dela pro project camelot...

    Bem vindo à Nibiru..

    http://www.youtube.com/watch?v=9VcVGtg3BiE


    Esse outro é muuiiito bom tbm... se vc não conhece...(difícil)...

    Entrevista Feita por Rafa Palacios, Exopolitics Summits 2009, à "Henry Deacon":

    http://www.youtube.com/watch?v=cyF9iwTcOBg&feature=related

    abraço!

    ResponderExcluir
  2. Querida Ravena!

    ASSSISTA esta ENTREVISTA.... (Recomendo assistir inteira no youtube...!!!!)

    http://www.youtube.com/watch?v=eAfzNg9r_1E&feature=channel_video_title...

    ResponderExcluir
  3. Ignore alguns erros de português e capte a mensagem.


    http://www.youtube.com/watch?v=eABFLQXXEIU


    Seria legal postar o vídeo no seu blog. Abraço.

    Att, 5

    ResponderExcluir
  4. Esta é uma das maniplações mais cruéis...sempre valorizam o jovem, focando na vida toda pela frente mas, sabemos que não é assim...por isso sentímos mais a morte de crianças e jovens, parece tudo muito "injusto"...até a velha clássica frase.."Era tão jovem..." sentimo-nos roubados pois a morte prematura, tirou a oportunidade de uma vida cheia de possibilidades...Se não tivessemos medo de perder nossas consideradas, preciosas vidas, talvez fossemos melhores uns cons os outros, talvez não olhassemos o outro como um possível ladrão de todas as "nossas possibilidades"...imagine um mundo sem medo? Mas quem quer pessoas tão conscientes assim? Acho que não é do interesse! Vc disse tudo Rave, o medo é uma coleira insuportável mas, que já estamos muito bem acostumados, tememos até retirá-la nós mesmos...Aprendemos há muitas gerações, que a vida é um dom muito precioso que alguém nos deu e não devemos deixar que nos tirem, mesmo tendo que defender esta idéia com a própria vida...curioso não?
    Abs

    ResponderExcluir
  5. Ravena achei interessante estas notícias veiculadas pela grande mídia.
    Astrônomos descobrem planeta que ainda não pode ser visto da Terra
    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/09/astronomos-descobrem-planeta-que-ainda-nao-pode-ser-visto-da-terra.html

    Blecaute atinge 2 milhões de pessoas nos EUA e México
    As causas da falta de fornecimento ainda estão sendo investigadas.
    San Diego é a cidade mais afetada, com 1,4 milhão de usuários atingidos.

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/09/blecaute-atinge-2-milhoes-de-pessoas-nos-eua-e-mexico.html

    Vai ter uma hora que as notícias de uma grande mudança serão amplamente divulgadas.

    ResponderExcluir
  6. Belo texto,Ravena,e necessário.Hoje estamos sujeitos à morte à qualquer instante,motivos não faltam,numa sociedade extremamente violenta e desiquilibrada.Além do preparo para a vida,temos que nos prepararmos para a morte,que na verdade não passa de uma transição de dimensão ou plano espiritual.Ouvi isso numa palestra e achei interessante:"2 gêmeos no útero e um pergunta ao outro:Será que há vida depois do parto?...." É para refletir...Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Muito bem "BARATONA"rsrsrs,encararmos a morte como uma dádiva são pra poucos, pois como já dizia nosso irmão Osho,"Não existe VIDA sem a MORTE, as duas são necessárias". O grande medo consiste em não termos uma VIDA de consciência, pois sem essa a MORTE só nos causa MEDO. Beijos no coração! Francisco.

    ResponderExcluir
  8. Me enviaram esse vídeo justamente falando sobre o assunto sobre a morte:
    O Medo da Morte
    Moisés Esagüi é psicanalista e desenvolve pesquisas sobre projeção astral, clarividência, bioenergias e comportamento humano.
    Nesse vídeo, Moisés fala sobre o medo que temos da morte. Desmistifica esse processo mostrando que a morte é simplesmente a continuidade da vida, e que deveríamos estar vivendo da melhor forma possível, nos esforçando para evoluir.

    http://www.youtube.com/watch?v=heoHXm1z9JQ&feature=uploademail

    Abços.

    ResponderExcluir
  9. Ravena,

    Quero expressar minha gratidão por você ter repostado tudo que achou de importante para nosso esclarecimento, senão, para nos tornar mais interessados pela "realidade" que nos cerca. No meu caso, tenho aprendido muito. Confesso não assimilar a teoria reptiliana de David Icke, e outra, embora concorde com muitas das teorias que escreveu Zecharia Sitchin, Nibiru, minha racionalidade reluta em aceitar. Confesso também, que julgava tudo por aqui um tanto quanto catastrofista, e tenho podido mudar de opinião acompanhando estas repostagens. Portanto, por isso também, sou grato.

    Peço tua ajuda, se possível: uma dica de como esvaziar a cuca e aprender a mentalizar, como sugerido num post. Pra mim, deixar a mente vazia é de uma dificuldade descomunal.

    Grato,
    Walner.

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".