12 setembro 2011

Dois Mundos


O medo paralisa, nos mantêm estagnados, impedindo mudanças, provoca reações não só na mente como no corpo. Quando sentimos medo, um substância conhecida como adrenalina se espalha pelo corpo, os batimentos cardíacos aumentam fazendo o sangue circular mais rápido, deixando o corpo preparado para uma fuga ou um  movimento agressivo. Se houver situação de impotência diante de uma situação, misturamos a todas essas sensações a vontade incontrolável de chorar, de fugir, de sumir, de se esconder.

Com exceção da auto preservação, onde o medo é fator de sobrevivência, na maior parte seus efeitos são destrutivos.  O medo da doença, pobreza, violência, solidão, das contas no fim do mês, o medo da morte, o medo de Deus, o medo de ser você...

Seres que dominam nosso planeta utilizaram essa ferramenta para nos controlar, pois conhecem nossa natureza melhor do que nós conhecemos. Eles sabem o que somos, nossa origem, nosso excelente potencial de criação e utilizam essa ferramenta assim como alguns pais utilizam “o homem do saco”  para controlar seus filhos. O pai pensa que está agindo da melhor maneira, “eles” agem de acordo com sua natureza, seus conhecimentos, não por amor, mas fazem aquilo que sabem para sobreviver, na visão deles somos inferiores, controláveis e úteis.


Pode parecer estranho, mas vejo perfeição no jogo da vida, no jogo do Cosmos, assim é, porque se faz necessário por enquanto. Para pensar que não existe perfeição no que nos parece muito imperfeito, teríamos que utilizar aquela palavrinha chata: “SE”.
Se não houvesse controle, se não houvesse mentira, se não houvesse manipulação, se se se...

Só há um problema, a palavra “SE” não existe, pois o passado já passou e não pode ser alterado e o futuro é um leque de possibilidades. Não podemos nos apegar a algo que não aconteceu mas poderia ter acontecido, isso não existe, sabemos que o que existe realmente é o agora, o presente, você está lendo esse texto agora, o que será feito dessas palavras dentro do seu coração e mente é um leque de possibilidades.

Não se esforce na tentativa de imaginar o que poderia ser do mundo SE tudo tivesse acontecido diferente e nem na tentativa frustrada de muda-lo. Se esforce em mudar o seu mundo, em equilibrar seu corpo e sua mente.

O mundo não mudará para você, é você quem pode mudar para ser acolhido brevemente num mundo melhor, depois de passar por esse planeta escola, se seu lugar é aqui, aqui você ficará no “novo mundo” que surgirá e se não, sua essência encontrará o destino. Enquanto isso, trabalhe seus medos, não adianta fugir de notícias ruins, pois elas não são ruins, são só informações, o que muitos pensam ser frieza, eu chamo de neutralidade. Veja informação e não tragédia, veja mudança e não apatia. Esse mundo é uma escola, então aproveite para que essa seja sua última existência num mundo 3D. Você não precisa e não quer mais ser controlado. 

Somos divinos e ao mesmo tempo diabólicos, vivemos num mundo polarizado e por que?

Não é o equilíbrio que buscamos? Como aprender sobre equilíbrio se não conhecemos polaridades? É preciso experimentar ou melhor experienciar.

Aprendemos , colocamos em prática e então: sabemos. Não é preciso dizer a uma flor que ela é uma flor ou a um gato que ele é um gato, mas o ser humano precisa de alguém para lhe dizer que é especial, que é divino, criativo, criador, imortal, pois nós não enxergamos isso sozinhos, aceitamos o que nos falaram e apenas depois de algumas conquistas é que hoje percebemos que somos muito mais do que nos ensinaram

“Eles” nos omitiram isso, que sacanagem! Será mesmo?
Vamos partir do princípio de que tudo é perfeito como está, mesmo não concordando com isso.
Quantos você conhece que aceitam novas descobertas (as nossas) com facilidade?
Quantos você conhece que até aceitam, mas não querem saber mais, preferem ficar como estão?
Quantos te denominam louco? Para essa questão, eu sei a resposta...

A história da raça humana se desenvolveu como se desenvolveu, porque assim permitimos. Os céticos, materialistas, manipuladores de ontem podem ser os despertos de hoje. Algumas pessoas continuarão na Terra 3D, alguns irão para a Terra 5D, outras voltarão para seus orbes de origem, pois muitos são exilados de outros planetas que passaram pelo mesmo processo que a Terra em breve passará, o importante é compreender que somos seres imortais em evolução, partículas divinas experienciando e desenvolvendo o equilíbrio num mundo de polaridades. 



Abade: É possível cobrir a Terra inteira de tecido para que fique suave em qualquer lugar que pisarmos?

Monge : Não.

Abade: Então o que fazemos?

Monge : Colocamos sandálias de tecido.





Confeccione para você uma sandália bem macia onde mesmo um campo cheio de pedrinhas não lhe aborreça ao andar. Essa sandália se confecciona no dia a dia, podemos produzir experiência positivas se encararmos essa caminhada focados no equilíbrio de nossa mente e corpo.

Assumir a responsabilidade por nossas experiências sem culpar fatores externos ou alheios é onde se dá origem nossa liberdade, ser escravo, é ser refém do condicionamento, da imposição, das situações, da opinião alheia, é permitir ser afetado ou controlado por fatores externos. Coletivamente criamos a situação em que estamos e estamos numa posição privilegiada de logo criarmos uma situação melhor, mas isso se dá primeiro individualmente, somos autores de nossas experiências e ter consciência disso é o primeiro passo à liberdade.

Outro passo é o desapego. O isolamento, ser um peixe fora d’ água é outra parte do processo.
Nem todos percebem ou chegaram no tempo de perceber a realidade das experiências que vivemos, preocupação provem do medo, preocupar-se com o filho, o marido, os amigos, os parentes é não respeitar o tempo de cada um deles. Muitas mães, pais, avos, amigos perderão a oportunidade de ir além por se preocupar com seus entes queridos, por isso aprender lidar com a solidão, o isolamento hoje é necessário. É mais um preparo, caso contrário, nós que expandimos um pouquinho nossas consciências, seríamos uns vizinhos dos outros e alguns de nós, estamos separados por oceanos. Separação necessária?

Por que não? Se todos fossemos vizinhos, talvez nossa relação não seria como é, nossos egos atrapalhariam, não é sempre o ego que atrapalha relações? No dia a dia e a cada post amigo, trabalhamos nosso ego um pouquinho mais, até que um dia ele não seja um problema em nossas relações.



Façamos o que for possível no auxilio, mas sem interferir agressivamente e sem perder essa grande oportunidade. Cada um estará onde deve estar, por isso é importante vigiar seus pensamentos, aprender a cancelar o negativo e criar positivos, pois no dia D, eles é que farão a diferença, não existe um “se acontecer”, mas "quando acontecer", pois esse dia chegará e quando o momento chegar seus pensamentos devem ser claros e direcionados para o que você quer criar, realizar, estar, se estiverem fixos nos outros, será onde você vai estar e esse processo é individual, não é possível transferir experiências, é preciso viver.  Compreender e respeitar o tempo do outro é amar. 


Já aprendemos muito até aqui e o que vamos realizar dependerá só do que assimilamos em nossos corações. Nós seremos nossos algozes ou salvadores. A escolha é sua e definirá o gran finale e em que mundo você ficará.  

Michael Jackson antes de sua morte, nos deixou um curto mas preciso recado. 

Grande beijo no coração
Ravena


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".